Bolsa de Recrutamento

//Bolsa de Recrutamento
Bolsa de Recrutamento

A IdD – Portugal Defence, SA foi criada no dia 29.06.2020 e compete-lhe, segundo o mandato que lhe está fixado:

  1. Assegurar a interface I&D entre a Economia da Defesa e os Centros de Investigação e Desenvolvimento das Universidades Portuguesas.
  2. Gerir as participações sociais que lhe estejam cometidas ( OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, S.A., Arsenal do Alfeite, S.A., Navalrocha – Sociedade de Construção e Reparações Navais, S.A., EEN – Empordef Engenharia Naval, S.A., EID – Empresa de Investigação e Desenvolvimento de Eletrónica, S.A., EMPORDEF – Tecnologias de Informação, S.A. (ETI), EDISOFT – Empresa de Serviços e Desenvolvimento de Software, S.A. (EDISOFT, S. A.), Extra – Explosivos da Trafaria, S.A.) ;
  3. Assegurar a interface público/privado na Economia da Defesa;
  4. Apoiar as operações de rentabilização de património na área da Defesa Nacional, nomeadamente no âmbito da execução da respetiva Lei de Infraestruturas;
  5. Assessorar as transações de equipamentos militares, nomeadamente no âmbito da execução da Lei de Programação Militar.

A IdD – Portugal Defence terá como missão executar políticas sectoriais da Defesa, através da consolidação de um centro público de decisão empresarial capaz de alavancar os novos instrumentos financeiros, nacionais e europeus, numa linha de criação de valor no quadro de um novo contexto da Política de Defesa Europeia, tendo simultaneamente em vista a racionalização e viabilização económica da gestão das participações em causa.

A Economia da Defesa, em Portugal como na Europa, parte essencial da economia global, atua ainda catalisando o desenvolvimento tecnológico e a inovação, e liderando o movimento de digitalização da economia, e não só nas cadeias de valor a ela adjacentes, tendo um efeito de semente noutros sectores da economia, através de sinergias transversais em todo o tecido social e económico. Mas é, antes disso, garante da gestão do ciclo de vida dos equipamentos necessários ao cumprimento das missões das Forças Armadas, sem cujo apoio não poderá prosperar.

Face ao exposto, é intenção da Portugal Defence constituir uma Bolsa de Recrutamento, na Sequência do Despacho nº 780/2020 do Senhor Secretário de Estado do Tesouro de 23 de novembro, que:

  • aprova a contratação de novos colaboradores para a Portugal Defence, tendo em atenção o Plano de Negócios e o Novo Modelo de Governo da Sociedade e
  • considera que o PAO para 2020 apresentado pela Portugal Defence está em condições de ser aprovado pelo acionista, após ter obtido parecer favorável da UTAM- Unidade Técnica de Acompanhamento e Monitorização do Setor Público Empresarial.

A Bolsa de Recrutamento atende a as áreas funcionais, bem como a perfis associados, e não vinculando a entidade a qualquer contratação, e tendo o prazo de um ano.

Agradecemos que respondam para o e-mail procedimentos@iddportugal.pt, referindo qual a área funcional a que se candidatam, até ao próximo dia 21 de dezembro de 2020, podendo as candidaturas ser feitas para mais de uma referência.

 

Referência 1: Assessor jurídico; incumbe ao assessor jurídico, no âmbito das suas funções:

  1. Prestação de esclarecimentos e dúvidas de foro jurídico;
  2. Preparação de estudos em torno do procedimento e contencioso administrativo da contratação pública;
  3. Preparação de estudos em áreas conexas com o procedimento e contencioso administrativo da contratação pública;
  4. Implementar e aplicar os procedimentos necessários à aplicação do Regulamento (EU) 2016/679, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 27 de abril de 2016, relativo à proteção das pessoas singulares no que diz respeito ao tratamento de dados pessoais e à livre circulação desses dados (vulgo RGPD);
  5. Resposta a inquéritos e questionários respeitantes a questões jurídico-legais;
  6. Assegurar serviços de consultoria, aconselhamento e de recomendações, diante dos agentes internos que integram a organização, bem como daqueles externos que entrem numa relação de colaboração com os serviços de assessoria jurídica;
  7. Analisar, articular e colaborar em temas desenvolvidos por serviços jurídicos externo;
  8. Efetuar, controlar e coordenar o departamento ou escritório nas tarefas relacionadas com temas jurídico;
  9. Selecionar e compilar textos legislativos e de jurisprudência com o fim de reunir informações pertinentes para a matéria em apreço;
  10. Analisar os processos e a correspondência relativos aos assuntos de que está incumbido;
  11. Entregar recursos e contestações, bem como quaisquer outros documentos nos tribunais;
  12. Efetuar o pagamento de cauções, custas processuais e depósitos;
  13. Acompanhar o andamento dos processos e requerer cópias de sentenças e certidões junto dos serviços competentes;

Requisitos

  1. Licenciatura e mestrado em Direito;
  2. Experiência em funções similares mínima de 10 anos;
  3. Experiência em contratação pública;
  4. Domínio de inglês;
  5. Conhecimentos de Microsoft Office (ótica do utilizador);
  6. Dinamismo e proatividade;
  7. Capacidade de comunicação, interna e externa;
  8. Capacidade de organização e de cumprimento de prazos.

Cargo/posição/bolsa: Assessor

 

Referência 2: Diretor de estratégia empresarial; compete ao diretor de estratégia, no exercício das suas funções o desempenho das suas tarefas em:

  1. Elaboração de estudos analíticos e prospetivos na área da Defesa Nacional;
  2. Proceder a estudos e a rigorosa investigação de modelos estratégicos, comerciais e empresariais;
  3. Proceder a constantes análises, internas e externas, da competitividade da empresa;
  4. Construir cenários, organizar reuniões de planeamento e orientar os representantes dos demais departamentos, por forma a atingir o máximo dos seus resultados;
  5. Apoio no processo de decisões estratégicas, através de informação relativa a resultados e custos, designadamente em matéria de pertinência de serviços, das suas atribuições, organização e atividades;
  6. Melhorar a arquitetura de processos, gerando um valor acrescentado para os utilizadores, numa ótica de tempo, custo e benefício;
  7. Contribuir para a melhoria da gestão em razão das necessidades dos seus utilizadores e alinhar nas atividades do serviço;
  8. Desenvolver e consolidar práticas de avaliação e autorregulação;
  9. Identificar as necessidades de formação e desenvolvimento profissional adequadas à melhoria do desempenho dos serviços.

Requisitos

  1. Licenciatura Mestrado nas áreas de gestão, economia e assuntos europeus;
  2. Formação pós-graduada e doutoramento nas áreas de economia e gestão (preferencial);
  3. Experiência profissional mínima de 10 anos;
  4. Experiência de articulação com stakeholders nacionais e internacionais na área da Economia;
  5. Domínio de inglês;
  6. Conhecimentos de Microsoft Office (ótica do utilizador);
  7. Dinamismo e proatividade;
  8. Capacidade de comunicação, interna e externa;
  9. Capacidade de organização e de cumprimento de prazos.

Cargo/posição/bolsa: Diretor

 

Referência 3: Diretor de Valorização do Conhecimento; compete ao diretor de estratégica, no exercício das suas funções o desempenho das suas tarefas em:

  1. Desenvolver o plano de ação definido pela tutela e sua implementação junto da BTID, no âmbito das áreas de atuação do Ministério da Defesa, nomeadamente nas áreas da Ciberdefesa e Espaço, na medida em que são áreas prioritárias para o Ministério da Defesa;
  2. estabelecer parcerias e promover a cooperação, que visem a inovação e a internacionalização de empresas e das cadeias de valor (clusterização e cadeia de fornecedores), sem esquecer a promoção do investimento empresarial em I&I e i&D, para promover o aumento das atividades económicas intensivas em conhecimento e a criação de valor baseada na inovação.
  3. Interação com o STCN;
  4. Criação de parcerias entre universidades, empresas, centros de investigação e Forças Armadas

Requisitos

  1. Deter formação académica na área da Engenharia ou outra relevante
  2. Conhecimento das necessidades de capacidades e lacunas das Forças Armadas
  3. Experiência na área da investigação e desenvolvimento em Universidades ou outros centros de investigação e desenvolvimento
  4. Experiência no sector da Defesa e/ou da Economia da Defesa;
  5. Experiência na área da cooperação civil-militar ou comunicação estratégica, nomeadamente em organizações internacionais;
  6. Experiência de articulação com stakeholders nacionais e internacionais no sector da Defesa e/ou da Economia da Defesa
  7. Domínio de inglês;
  8. Conhecimentos de Microsoft Office (ótica do utilizador);
  9. Dinamismo e proatividade;
  10. Capacidade de comunicação, interna e externa;
  11. Capacidade de organização e de cumprimento de prazos.

Cargo/posição/bolsa: Diretor

 

Referência 4: Técnico Superior para a Valorização do Conhecimento; compete a este Técnico Superior, no exercício das suas funções o desempenho das suas tarefas em:

  1. Acompanhar o plano de ação definido pela tutela e implementação junto da BTID, no âmbito das áreas de atuação do Ministério da Defesa
  2. Interação com o STCN
  3. Criação de parcerias entre universidades, empresas, centros de investigação e Forças Armadas

Requisitos

  1. Licenciatura na área das ciências Sociais;
  2. Conhecimento nos procedimentos associados à criação de centros de Investigação e desenvolvimento ;
  3. Experiência em gerir projetos em centros de investigação Domínio de inglês;
  4. Conhecimentos de Microsoft Office (ótica do utilizador);
  5. Dinamismo e proatividade;
  6. Capacidade de comunicação, interna e externa;
  7. Conhecimento de Protocolo e Organização de Eventos
  8. Capacidade de organização e de cumprimento de prazos.

Cargo/posição/bolsa: Técnico Superior

Número de lugares a concurso: 2

 

Referência 5: Técnico Superior para a Economia de Defesa; compete a este Técnico Superior, no exercício das suas funções o desempenho das suas tarefas em:

  1. Capacidade de análise de dados
  2. Articulação com entidades nacionais e internacionais
  3. Gestão das oportunidades de negócio das empresas nacionais
  4. Acompanhar o plano de ação definido pela tutela e implementação junto da BTID, no âmbito das áreas de atuação do Ministério da Defesa

Requisitos

  1. Formação em Economia ou equivalente;
  2. Experiência em funções mínima de 3 anos;
  3. Experiência no sector da Defesa e/ou da Economia da Defesa;
  4. Domínio de inglês;
  5. Conhecimentos de Microsoft Office (ótica do utilizador);
  6. Dinamismo e proatividade;
  7. Capacidade de comunicação, interna e externa;

Cargo/posição/bolsa: Técnico Superior

Número de lugares a concurso: 2

 

Referência 6: Técnico Eletromecânico: compete a este Técnico ter preferencialmente formação profissional certificada e/ou experiência comprovada na área da manutenção industrial, para:

  1. Realização de atividades de manutenção preventiva/ corretiva de instalações eletromecânicas.
  2. Conduzir atividades de manutenção preventiva – verificação e diagnostico do estado de conservação e funcionamento dos equipamentos eletromecânicos;

Requisitos técnicos/académicos e profissionais:

  1. Mínimo 12º ano, preferencialmente com formação profissional na área da manutenção industrial;
  2. Conhecimentos de eletricidade, pneumática, mecânica;
    Boa capacidade de análise e diagnostico de avarias;
    Boa capacidade de organização e gestão de tempo;
    Resistência ao stress e espírito de equipa;
  3. Iniciativa, dinamismo e proatividade;
  4. Elevado sentido de responsabilidade e organização;
  5. À vontade para lidar com matérias perigosas (Explosivos)
  6. Experiência mínima de 5 anos na área da manutenção preventiva e corretiva

Cargo/posição/bolsa: Técnico

Número de lugares a concurso: 1

2020-12-12T01:34:16+00:0012 de Dezembro, 2020|Tags: , , |